segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Linh Dinh



Linh Dinh é um poeta americano de origem vietnamita, nascido em Saigon em 1963. Emigrou para os Estados Unidos aos 12 anos, em 1975, estabelecendo-se em Philadelphia. Estreou com a coletânea de poemas Drunkard Boxing (1998), seguido de uma coletânea de contos intitulada Fake House (2000). Publicou ainda os poemários Some Kind of Cheese Orgy (2009), Jam Alerts (2007), Borderless Bodies (2006), American Tatts (2005) e All Around What Empties Out (2003), além das coletâneas de contos Love Like Hate (2010) e Blood and Soap (2004).

Traduziu vários poetas vietnamitas para o inglês, como Tran Vang Sao (n. 1942) e Nguyễn Quốc Chánh (n. 1958), entre outros.

 

É frequentemente apontado como um dos poetas mais importantes de sua geração nos Estados Unidos. Apresentamos abaixo 10 poemas de Linh Dinh, em tradução de Luca Argel.


--- Ricardo Domeneck

§

POEMAS DE LINH DINH
em tradução de Luca Argel


Rico Manual do Pobre

Granulosas moldadas por mãos de mulher.
Coisas tubulares.
Destroços sobre uma cama.
Tudo que não pode ser diluído, alongado.
Tudo que soa parecido com o seu nome gritado através de uma parede.
A vista do topo de uma lata de lixo.
Objetos resplandecentes.
Qualquer coisa que possa causar espanto, incredulidade, ou remorso.
Pessoas que se parecem com uma rosa por baixo, um ouriço
por cima, um bloco de gelo por trás, um stonehenge ao longe.
Ar dentro da boca, qualquer vazio corpóreo, um poema.
Música intestinal.
O espaço entre duas coisas quaisquer: "nódoa."
(Não é cú, não é buceta, é nódoa.)
Os anos 17, 365, 848, 1995, 2367, 4796, etc.
Uma declaração flagrantemente falsa que de repente parece verdadeira,
por nenhum motivo aparente, e depois de novo falsa, por nenhum motivo aparente.
Coisas que endurecem, lentamente, com o tempo, em oposição a coisas
que afundam, lentamente, com o tempo.
Um acontecimento comovente testemunhado por pelo menos três indivíduos adultos.
A cor do sangue na areia, na lama, num pedaço de pano rasgado pintado de índigo.
Os efeitos da iluminação artificial durante o coito.
Carne avaliada como não-comestível, por consenso, e depois como comestível, por consenso.
Todas as palavras, ou melhor, todos os sons feitos pela boca, que tenham
a mesma definição em todas as línguas.

(tradução de Luca Argel)

:

Rich Poor's Almanac
Linh Dinh

Lumpy things shaped by female hands. 
Tubular things. 
Flotsam on a bed. 
Whatever cannot be diluted, elongated. 
Whatever sounds like your name if shouted through a wall. 
The vista from the top of a trash can. 
Resplendent objects. 
Anything which can inspire awe, disbelief, or remorse. 
Persons who resemble a rose from below, a hedgehog from 
above, a block of ice from behind, a stonehenge from afar. 
Air inside the mouth, any bodily vacuum, a poem. 
Intestinal music. 
The space between any two things: "taint." 
(It ain't asshole, it ain't pussy, it's taint.) 
The years 17, 365, 848, 1995, 2367, 4796, etc. 
A flagrantly false statement which can suddenly appear true, 
for no apparent reason, then false again, for no apparent reason. 
Things which harden, slowly, over time, as opposed to things 
which sag, slowly, over time. 
A touching incident witnessed by at least three grown individuals. 
The color of blood on sand, on dirt, on a piece of torn cloth dyed indigo. 
The effects of artificial lighting on coitus. 
Flesh deemed inedible by consensus, then edible by consensus. 
All the words, or rather, sounds made by the mouth, which has 
the same definition in all languages.

§

Últimos Lançamentos 

Um revólver inteligente que sempre acerta
O alvo correto - mesmo que seja você -
Independente de quem você estiver mirando.

Um computador que toca a sua música preferida
Se você começa a assobiá-la.

Carne que limpa os seus dentes
Enquanto você a mastiga.

Um caminhão tão incrível que apenas o Presidente
Dos Estados Unidos da América tem permissão
Para dar uma volta nele, na velocidade que ele quiser.

Um dicionário apenas com adjetivos positivos.
Um dicionário sem verbos úmidos.
Um dicionário com definições negociáveis.
Um dicionário que define as palavras pelos seus antônimos.

Todos os maiores sucessos do último milênio
Tocados ao vivo, no palco, dentro do seu
Moderníssimo crânio acusticamente aprimorado.

Uma coleção completa de fotos suas
Nu, tiradas por você e vendidas
De volta para você - com desconto.

Uma boneca inflável com um espelho no lugar do rosto.
Uma boneca inflável com Ph.D.
Uma boneca inflável com a cor de pele ajustável.

Uma boneca inflável sensível, que quer apenas
Ser uma amiga - uma boneca inflável platônica.

Água da chuva numa garrafa, luz do sol numa caixa
E música ambiente para um ponto de ônibus
No final da rua, gravada em CD.

Um vídeo de 24 horas com o que você fez ontem.
Um vídeo de 24 horas com o que você fará amanhã.

Uma fotografia super realista da vista da sua
Janela, colada na sua janela.

Um jogo de baseball que nunca acaba,
Sendo jogado simultaneamente com
Um jogo de futebol americano que nunca acaba.

Bombas que ao explodir espalham cópias de "Folhas de Relva"
Num raio de mil quilômetros, durante mil anos.

Minas terrestres feitas de massa de pão
Cobertas com mozzarella e todas
As suas coberturas favoritas.

Um avião que nunca pousa.

E, finalmente, o seu conto de fadas favorito
Tatuado nos seus novos membros de plástico.

(tradução de Luca Argel)

:

Brand New Products 
Linh Dinh

A vigilant gun that always picks out 
The right target—even if it’s you— 
No matter who you’re aiming at. 

A computer that listens and blows you, 
As you blow it, to your favorite tune. 

Meat that cleans your teeth 
As you’re masticating it. 

A truck so awesome, only the President 
Of the United States of America’s allowed 
To careen in it, to his own beat. 

A dictionary with positive adjectives only. 
A dictionary with no wet verbs. 
A dictionary with negotiable definitions. 
A dictionary that defines words by their antonyms. 

All the greatest hits from the last millennium 
Performed live, on stage, on the inside 
Of your state of the art, acoustically-enhanced skull. 

A complete set of nude photos 
Of you, taken by you and sold 
Back to you—at a discount. 

A sex doll with a mirror for a face. 
A sex doll with a Ph.D. 
A sex doll with adjustable skin tone. 

A sensitive sex doll that just wants 
To be friends—a Platonic sex doll. 

Rain water in a bottle, sunshine in a box 
And ambience sounds from a bus stop 
Down the street, recorded on a CD. 

A 24-hour video of what you did yesterday. 
A 24-hour video of what you’ll do tomorrow. 

A super realistic photo of what’s outside 
Your window, pasted to your window. 

A baseball game that never ends, 
To be played simultaneously with 
A football game that never ends. 

Cluster bombs that scatter copies of Leaves of Grass 
Over a thousand mile radius, for a thousand years. 

Landmines made with dough, 
Topped with mozzarella and all 
Your favorite toppings. 

An airplane that never lands. 

And, finally, your favorite fairy tale 
Painted on your new plastic limbs.

§

Confissão

Talvez eu seja um artista cruel. Eu sempre pinto
Com riqueza de detalhes, e cuidadosamente, todos os defeitos
Nos rostos e corpos dos meus modelos.
Eu estreito meus olhos e pincéis para dar o devido espaço
a cada milímetro que sobra entre os dentes de seus sorrisos estáticos.
Eu lisongeio cada ruga, flerto com cada protuberância, massageio cada crosta.

Eu induzo meus modelos às poses mais constrangedoras,
Perigosas, anti-higiênicas, às vezes mórbidas.
Eu não me importo em pintar peles lisas e sedosas, mas
Prefiro colecionar dermatites e erupções. Inspirado,
Já amontoei uma centena de corpos - inacreditavelmente velhos,
Escandalosamente jovens - em degradantes pilhas,

Democraticamente nus, viscosos de suor, saliva e etc.,
Pois só assim eu pude traduzir a condição humana
Da maneira mais comovente e exata.

(tradução de Luca Argel)

:

Confession 
Linh Dinh

Perhaps I’m a cruel artist. I always depict 
In great details, lovingly, all the defects 
On the faces and bodies of my models. 
I use my eyes and brushes to thread 
The jagged gaps of their stiff smiles. I pamper 
Each pimple, hump, massage each incrustation. 

I cajole my models into poses that are awkward, 

Dangerous, unhygienic, sometimes mortifying. 
I don’t care to paint smooth, poreless skin but collect 
All manners of rashes and eruptions. Inspired, 
I’ve forced a hundred bodies—impossibly old, 
Extremely young—onto appalling heaps, 

Democratically naked, viscous with sweat, spit and etc., 

Just so I could render the human condition 
Most accurately and movingly.

§

Comendo Frango Frito 

Eu odeio admitir isso, cara, mas tem momentos
Quando eu estou comento frango frito
Quando eu não estou pensando em nada além do meu frango frito,
Quando eu me esqueço completamente da minha família, da minha honra, do meu país,
Das várias dívidas de sangue que você tem comigo,
Das minhas humilhações passadas e crimes futuros -
De tudo, resumindo, que não seja a pele crocante do meu frango frito.

Mas eu não sou assim totalmente mau, também há momentos
Em que eu me recuso a lamber ou a engolir qualquer coisa
Que não seja habitualmente apropriada para um ser humano.

(O que não é, se você parar pra pensar, absolutamente nada.)

E não há dúvida de que maçãs podem causar motins,
E a carne proporciona humilhação,
E cada respiração
Enche os pulmões de pólvora e fumaça.

(tradução de Luca Argel)

:

Eating Fried Chicken 
Linh Dinh

I hate to admit this, brother, but there are times 
When I’m eating fried chicken 
When I think about nothing else but eating fried chicken, 
When I utterly forget about my family, honor and country, 
The various blood debts you owe me, 
My past humiliations and my future crimes— 
Everything, in short, but the crispy skin on my fried chicken. 

But I’m not altogether evil, there are also times 
When I will refuse to lick or swallow anything 
That’s not generally available to mankind. 

(Which is, when you think about it, absolutely nothing at all.) 

And no doubt that’s why apples can cause riots, 
And meat brings humiliation, 
And each gasp of air 
Will fill one’s lungs with gun powder and smoke.

§

Quiz 

Invasores invariavelmente se auto-denominam:

a) conquistadores
b) saqueadores
c) reis magos
d) libertadores

Nossos inimigos nos odeiam porque:

a) somos sadistas
b) somos hipócritas
c) os tratamos mal
d) valorizamos a liberdade

Nossos amigos nos odeiam porque:

a) somos brigões
b) odiamos eles
c) somos hipócritas
d) valorizamos a liberdade

Caído no chão depois de ter sido espancado por uma gangue de soldados, prestes a levar um tiro, você
pode salvar a sua vida tirando do bolso:

a) uma uzi
b) um crucifixo
c) a Constituição
d) um poema

Um poema pode:

a) começar uma guerra
b) estancar uma ferida
c) instigar as massas
d) envergonhar uma nação

Poetas são:

a) palhaços
b) parasitas
c) legisladores
d) terroristas

A posição de uma nação no mundo é determinada por:

a) seu poder aquisitivo
b) sua força militar
c) sua herança cultural
d) Deus

Um país é rico devido a:

a) sua população esclarecida
b) seu sistema político
c) sua insignificância no mundo
d) sua geografia

Um país é pobre devido a:

a) sua população ignorante
b) seu sistema político
c) sua insignificância no mundo
d) sua geografia

A dignidade de um homem é determinada por:

a) sua aparência (cor de pele, altura, etc)
b) sua disposição para usar de violência
c) seu domínio de inglês
d) seu passaporte azul

Aqueles dispostos a morrer por suas crenças são:

a) idealistas
b) terroristas
c) idiotas
d) malucos

Aqueles dispostos a não morrer por nada são:

a) corretos
b) patriotas
c) malucos
d) covardes

Terroristas:

a) falam demais
b) são irresponsáveis
c) exageram
d) dependem da ingenuidade

Armas inteligentes:

a) inutilizam artefatos cinéticos
b) matam suavemente
c) salvam vidas
d) massacram pela ciência

A dor é:

a) um castigo para os malvados
b) um infortúnio comum
c) um drama convincente
d) aguenta!

A humilhação é:

a) o último recurso para pervertidos entediados
b) inevitável em uma relação desigual
c) um fator de medo
d) sexy e catártica

O trabalho da mídia é:

a) seduzir
b) distribuir
c) vender
d) entorpecer

A internet:

a) nos permite ser apenas mentes
b) nos conectam a corpos distantes
c) nos desconectam dos corpos e mentes mais próximos
d) aumenta o analfabetismo

A pornografia é:

a) uma mentira que expõe a verdade
b) um descanso necessário da civilização
c) guerra na sala de aula
d) nostalgia dos jardins do Éden

Respostas corretas: c,d,d,b,b,a,b,a,a,c,b,b,b,c,b,d,b,d,c.

—Se você acertou de 14 a 19, você é uma pessoa ajustada, tem casa própria, e ganha pelo menos cem
mil por ano.
—Se você acertou de 8 a 13, você paga aluguel ou vive com os pais, não pratica exercícios, e toma pelo menos seis latinhas por dia.
—Se você acertou 7 ou menos, você tem problemas com a Polícia e/ou Receita Federal, corta o seu
próprio cabelo, e usa os transportes públicos como principal meio de locomoção.

(tradução de Luca Argel)

:

Quiz 
Linh Dinh

Invaders invariably call themselves: 

a) berserkers 
b) marauders 
c) frankincense 
d) liberators 

Our enemies hate us because:

a) we’re sadists 
b) we’re hypocrites 
c) we shafted them 
d) we value freedom 

Our friends hate us because: 

a) we’re bullies 
b) we hate them 
c) we’re hypocrites 
d) we value freedom 

Pushed to the ground and kicked by a gang of soldiers, about to be shot, you can save your life by 
brandishing: 

a) an uzi 
b) a crucifix 
c) the Constitution 
d) a poem 

A poem can: 

a) start a war 
b) stanch a wound 
c) titillate the masses 
d) shame a nation 

Poets are: 

a) clowns 
b) parasites 
c) legislators 
d) terrorists 

A nation’s standing in the world is determined by: 

a) its buying powers
b) its military might 
c) its cultural heritage 
d) God 

A country is rich because of: 

a) its enlightened population 
b) its political system 
c) its small stick 
d) its geography

A country is poor because of: 

a) its ignorant population 
b) its political system 
c) its small stick 
d) its geography 

A man’s dignity is determined by: 

a) his appearance (skin color, height, etc) 
b) his willingness to use violence 
c) his command of English 
d) his blue passport 

Those willing to die for their beliefs are: 

a) idealists 
b) terrorists 
c) suckers 
d) insane 

Those willing to die for nothing are: 

a) principled 
b) patriotic 
c) insane 
d) cowards 

Terrorists: 

a) abuse language 
b) hit and run 
c) shock and awe 
d) rely on ingenuity 

Smart weapons: 

a) render hopeless and dormant kinetic objects 
b) kill softly 
c) save lives 
d) slaughter by science 

Pain is: 

a) payback for evil-doers 
b) a common misfortune 
c) compelling drama 
d) suck it up! 

Humiliation is: 

a) the ultimate thrill for bored perverts 
b) inevitable in an unequal relationship 
c) a fear factor 
d) sexy and cathartic 

The media’s job is: 

a) to seduce 
b) to spread 
c) to sell 
d) to drug

The Internet: 

a) allows us to be pure minds 
b) connects us to distant bodies 
c) disconnects us from the nearest minds and bodies 
d) improves illiteracy 

Pornography is: 

a) a lie that exposes the truth 
b) a needed breather from civilization 
c) class warfare 
d) nostalgia for the garden of Eden 

Correct answers: c,d,d,b,b,a,b,a,a,c,b,b,b,c,b,d,b,d,c. 

—If you scored 14-19, you’re a well adjusted person, a home-owner, with and income of at least 
$50,000 a year. 
—If you scored 8-13, you either rent or live with your parents, never exercise, and consume at least a 
6-pack a day. 
—if you scored 7 or less, you’re in trouble with the FBI and/or the IRS, cut your own hair, and use public transit as your primary mode of transportation.

§

A mente 

A mente é um hotel com mil quartos. Quando eu inclino minha cabeça para um lado, eu penso em certas coisas. Quando eu inclino minha cabeça para outro lado, eu penso em outras coisas. Se eu durmo
com o rosto virado para a direita, por exemplo, eu sonho com uma rosa pálida, com o futuro, ou com um jantar no Continental de Passaic, Nova Jersey. Quando eu durmo com o rosto virado para a esquerda, eu sonho que uma mão está espremendo o meu coração, que eu estou na cadeia, ou que eu estou assistindo hockey num bar de aeroporto, prestes a perder o vôo.

:

The Mind 

The mind is a hotel with a thousand rooms. When I tilt my head a certain way, I think about certain things. When I tilt my head another way, I think about other things. If I sleep on the right side of my face, for example, I’d dream of a pale rose, the future, or a continental diner in Passaic, New Jersey. When I sleep on the left side of my face, I’d dream that a hand is squeezing my heart, that I’m in prison, or that I’m watching hockey at an airport bar, about to miss a flight.

§

Um Humilde Camponês da Idílica Zona Rural 

Eu era analfabeto até ontem. Essas linhas embaralhadas - tatuadas em cada superfície disponível, em toda a minha volta, durante toda a minha vida - de repente começaram a fazer sentido ontem. Até ontem eu não sabia que todas as invectivas e ordens que constantemente me rodeavam eram na verdade feitas de palavras. Eu pensava que eram mosquitos, ou poeira, ou respingos de tinta, cada uma deixando uma sensação de formigamento na minha pela fina, quase transparente. Ontem alguém me disse algo aqui na vizinhança, e eu finalmente decidi tentar escrevê-lo, uma transcrição fonética, com o melhor das minhas habilidades: VAESSI FUDÊAR. Eu escrevi isso com uma caneta azul num pedaço de papel amarelo. Eu finalmente escrevi, eu pensei, agora eu sou um escritor. Se eu tivesse simplesmente transcrito a frase acima como um pensamento azul sobre a minha memória amarela, eu ainda seria visto como um humilde camponês da idílica zona rural.

:

A Hardworking Peasant From The Idyllic Countryside
Linh Dinh

I was illiterate until yesterday. All these squiggly lines — tattooed on every available  surface, all around me, all my life — suddenly started to make sense yesterday. Until  yesterday I did not know that the invectives and commands constantly swarming around me were actually made of words. I thought they were mosquitoes, or dust, or flecks of paint, each one leaving a prickling sensation on my thin, almost transparent skin. Yesterday someone said something in my vicinity and I finally decided to write it down, a phonetic transcription, to the best of my abilities: FUAK YOW MOFTHEARFUAKIER. I wrote that down with a blue pen on a yellow piece of paper. I finally wrote, I thought, now I’m a writer. If I had merely transcribed the above as a blue thought onto my yellow memory, I would still be seen as a hardworking peasant from the idyllic countryside.

§

O Único Jogo Autêntico 

Convencido de que a guerra era o único jogo autêntico, o único jogo que valia a pena jogar, ele dedicou sua vida a ser um mercenário, chegando a participar da Guerra entre Índia-Paquistão de 1971 (onde ele perdeu um dedo), da Guerra de Yom Kippur (onde ele perdeu o pé direito), da Guerra das Malvinas (onde ele perdeu o lado direito do rosto), da Guerra do Golfo (onde ele perdeu o lado esquerdo do rosto), e da guerra civil de 1995 em Serra Leoa (onde ele perdeu um outro dedo).

:

The Only Authentic Game 
Linh Dinh

Convinced that war is the only authentic game, the only game worth playing, he dedicated himself to being a mercenary, and proceeded to participate in the Pakistani-Indian War of 1971 (where he lost a finger), the Yom Kippur War (where he lost his right foot), the Falklands War (where he lost the right side of his face), the Gulf War (where he lost the left side of his face), and the 1995 civil war in Sierra Leone (where he lost another finger).

§

Uma Decisão Moral

Um homem encontrou-se naquela posição familiar de estar apaixonado por duas mulheres ao mesmo tempo. Ele estava casado com apenas uma delas e tomou a decisão moral de permanecer fiel à sua esposa. Ele também se condicionou a nunca pensar na segunda mulher, seja de forma erótica ou de qualquer outra forma. Ocasionalmente, porém, quando ele ficava um pouco bêbado, ou quando estava cansado demais, ele pensava que a solução ideal seria que a sua esposa sofresse uma morte rápida e violenta, para que ele pudesse consumar seu amor pela segunda mulher dentro de um contexto matrimonial, e sem que isso seja imoral em nenhum aspecto.

:

A Moral Decision 
Linh Dinh

A man found himself in the familiar position of being in love with two women at the same time. He was married to only one of them and made the moral decision to remain faithful to his wife. He also trained himself to never think about the second woman, in an erotic way or otherwise. Occasionally, however, when he was slightly drunk or overly tired, he would think that the ideal solution would be for his wife to die a quick, violent death, so that he could consummate his love for the second woman within the context of matrimony, without being immoral in any way.

§

Palavras-Chave 

É comum ouvir dizer que a gramática fornece uma tabela precisa do comportamento humano. Quem nunca percebeu que as pessoas que escrevem usando frases muito longas são também propensas a mentir, acordar tarde, e ao álcool? E que aqueles que não usam sinais de pontuação tendem a usar roupas de um número maior que o seu? Numa tentativa de injetar mais dinamismo e controlar o seus letárgicos cidadãos, o governo está determinando o uso de um ponto de exclamação no final de cada frase, falada ou escrita. "Parece que vai chover!" por exemplo, ou "Preciso dormir!". Agora é também contra a lei omitir um ponto de exclamação após palavras-chave. Palavras-chave são tão numerosas, porém, que muitos cidadãos acham mais seguro exclamar a cada sílaba. "Eu! Tra! Ba! Lho! De! Di! A!" por exemplo, ou "A! Sa! Í! Da! É! Por! A! Qui?!". Ontem, um senhor idoso que esqueceu-se de exclamar a palavra "frontal" em uma conversa privada com a sua esposa (mas ouvido por um vizinho muito vigilante) foi condenado a trinta e cinco anos de trabalho duro, servindo assim como um exemplo edificante para a próxima geração.


(tradução de Luca Argel)

:

Key Words 
Linh Dinh

It is often said that grammar provides a sure index to human behavior. Who hasn’t noticed that people who write in run-on sentences are also prone to lying, to getting up late, and to alcohol? And those who do not punctuate at all tend to wear oversized clothes? 
In an effort to inject more pep and resolve into its lethargic citizens, the government is mandating the 
use of an exclamation mark at the end of each sentence, spoken or written. “It looks like rain!” for 
example, or “I must sleep!” It is now also unlawful to omit an exclamation mark from the end of key words. Key words are so numerous, however, that many citizens have found it safest to exclamate each sylable. “I! Am! A! Day! La! Bor! Er!” for example, or “Is! This! The! Ex! It?!” 
Yesterday, an elderly gentleman who forgot to exclamate “frontal” in a private conversation with his wife (overheard by a vigilant neighbor) was sentenced to thirty five years of hard labor to set an edifying example for the next generation.



§



.
.
.

Sem comentários: